Calma

Calma, calma, coração
parece rodar feito um peão,
O desespero bate, e zela
pelo seu sentido de viver,

A calma zela pela sua sanidade,
eternidade perdida,
entre os ecos da calma.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Charles Bukowski.

Astronauta

A triste e curta vida de Ernesto