Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2011

Hostilidade.

Contra a hostilidade não se pode manter a paz, a tranquilidade e o espirito calmo. Algo muito bonito que aprendi com o budismo é a capacidade de se refletir e se abster das nuances do mundo como realidade. O problema principal é que não se pode calar frente ao hostil, a resposta precisa ser dada. Silêncio não cura nada. Silêncio como Simon and Garfunkel já diziam cresce como um câncer e se espelha silenciosamente sobre o som da opressão. Hostilidade pode ser enfrentada com um sorriso ou com uma quebra de rotina e de padrão. Qual a capacidade real que temos de quebrar padrões de hostilidade? Somente se colocarmos nossa tão besta e simples cara a tapa. Parece simples. Infelizmente não é.A última coisa é que precisamos colocar nosso sangue nas coisas: Marcuse estava de certa forma correto quando afirmou que não existem revoluções ou movimentos reais sem sangue. Mesmo as marchas de não violência de Gandhi dependiam de greves de fome que invadiam seu amago. Mudança real é possível no esfor…

Carta desesperada 2.

Cara Beatriz,A noção de que nos temos qualquer proximidade me é assustadora. Primeiro porque nunca nos vemos, nem fazemos parte da realidade próxima de nenhum de nós dois. Não nos vemos há meses. O que fazemos aqui é uma mera farsa bem orquestrada pelos meios sociais de criar uma imagem de conversa de algo que já foi importante para mim. As quase saídas são partes disso, porque elas representam a possibilidade de saída que nunca se cumpre, permanecendo assim numa quase proximidade fantasma. É tão notável esse fato que a falta de visão e contato do dia-a-dia deixa marcado uma ilusão do que pode ter sido um dia uma proximidade gostosa. Não que eu fale isso com um sintoma de raiva, é uma pura tranquilidade de tentar reconhecer os consensos sociais pelos quais operamos. De uma forma mais intima, minha negação dessa proximidade ilusória e a afirmação de uma distância existente é para resguardar o que um dia para mim era uma bela relação entre pessoas que se entendiam de uma forma segura do…