Postagens

Mostrando postagens de Março, 2011

Run Forrest! Run!

Eu tenho tido o mesmo sonho toda noite. Eu estou numa rua escura. É o final de uma festa, muito barulho sai de uma casa noturna na esquina. Eu vou acompanhado de um casal até um ponto onde não se vê mais ninguém. Quatro pessoas surgem, homens grandes e fortes. Eles estão querendo dinheiro. Por favor, dinheiro. Eu começo a gritar, corram, por favor, corram. A menina tem olhos cinzentos, entra em posição de defesa. Só pode ter visto isso num filme de Kung-fu. Eu grito com voz autoritária “vá embora, você não tem chance, vá embora sua maldita idiota”, ela entende o tom da minha voz. Seu acompanhante já vai embora à esquina, ela olha uma última vez nos meus olhos e vai embora. Se eu pudesse dizer o que vi naquele olhar, talvez tivesse gritado para o mundo inteiro ouvir. Sejam felizes, vocês podem. Eu não. Imploro que vocês sejam felizes, eu posso morrer me deixem aqui. Os olhos dela sorriram antes de ir embora, e eu me senti um pouco feliz. Ela não era minha, mas também não era dele. O ca…

Tic-tac.

Tic, TAC, tic, TAC, tic, TAC, tic, TAC, tic, TAC. O quarto estava cheio de relógios antigos por toda a parte. Era desesperador estar naquele lugar, era um quarto escuro, sujo, rodeado de anotações por toda a parede de várias fontes: prédios, bancos, pessoas e planos inteiros. Segure sua respiração. Algo está prestes a explodir. O relógio apitou, e o eu acordei naquele lugar nojento de novo. Quando sua vida é triste e desesperadora, qualquer lugar parece nojento, você não liga para a arrumação, para você mesmo, para absolutamente nada. Os relógios são pura figuração, você nunca dorme, e nem nunca fica acordado, quando você tem insônia às cenas parecem se enquadrar umas após a outra sem qualquer coerência. Você quer morrer. Você só quer uma porra de sono de novo, e estaria disposto a qualquer coisa que deixasse sua mente dormir. Uma televisão inútil, programas alegres com porra de finais felizes, você estaria disposto a vender qualquer parte do seu corpo por um pouco de paz.

Acho melhor …