Animus.


Amor é tudo. O importante é começar com uma frase que chama atenção, ou assim me foi dito. Eu me peguei pensando tarde da noite numa erupção de paixões e decepções sobre a real importância de se apaixonar, de perder, de ter, de amar. Minha única e somente conclusão vai para, além disso, não é só amor, pensem comigo, sentir é o que vale. Seja jogando um esporte, ajudando um velinho na rua, abraçando uma menina triste ou uma feliz, sentir é o que ta realmente na pauta do dia. Sim, você vai sofrer, sim, coisas ruins aconteceram, mas para deixar claro, coisas ruins sempre tem a possibilidade de acontecer, o que importa é se você conseguiu sentir, e vai ver é isso que alguém me quis dizer quando falou que o amor era o sentido da vida. Por mais clichê e besta que isso parece, porque não admitir esse simples fato? Nós vivemos nossos dias esquecendo essa pequena besteira, que na verdade é umas das únicas coisas que importa. Platão queria mostrar como nós poderíamos sentir melhor, assim como Nietzsche, assim como os Beatles ou Rolling Stones, e boa parte da humanidade. Animus me remete a contato com a natureza, mas é longe disso, é sua paixão, é aquilo dentro de você que lhe permiti sentir, é o intervalo entre nossa cabeça e nosso coração. Eu gosto tanto dessa palavra por esse motivo, ela é aquela ação que você faz para acordar o pouco que restou depois de dias batidos, é o que faz a gente querer mais.

Animus é gritar com as janelas do carro aberto, falar com alguém que te deixe sem graça, sair da sua zona de conforto, entrar num lugar cheio de gente sozinho, lutar kung fu, ver clube da luta, soltar uma piada realmente ruim para uma menina realmente boa, ficar tão cansado que sua cabeça para de raciocinar, é beijar sem aviso, beijar com aviso, é abraçar quem não gostar de abraço e quem gosta de abraço, é ser o único numa multidão a parar para ajudar alguém, é chamar alguém mil vezes para a mesma coisa mesmo sabendo a resposta, é comprar um presente sem saber se você poderá dá-lo, é dançar sozinho com uma mão para o alto, é colar todas suas citações favoritas no armário, é colar todas as suas lembranças favoritas no seu armário,é uma paixão platônica, uma paixão não platônica, é tudo aquilo que a gente quer gritar, mas ninguém tem vontade de escutar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Charles Bukowski.

Astronauta

A triste e curta vida de Ernesto